Que venha o 4º CINEPORT

(J.Matias de O. Neto)

Em sintonia não apenas com o cinema, mas também com a arte e literatura, o 3º CINEPORT encerrou-se com um belo momento de música-poesia proporcionado pela poeta Olinda Beja, de São Tomé e Príncipe, e pelo ator português Paulo Filipe Monteiro, acompanhados do violão do músico santomeense Filipe Santo. Levaram o Troféu Humberto Mauro os cineastas Zezé Gamboa, de Angola; e Luis Galvão de Teles, de Portugal, em homenagem aos profissionais “da pesada” do cinema.

Dentre os ilustres participantes da entrega dos Troféus Andorinha, Ariano Suassuna, do auge de seus oitenta anos, foi homenageado pela Cia. Ormeo Teatro-Dança, de Cataguases, com a bela encenação de sua primeira peça (que escreveu há 60 anos) e dos irmãos Carvalho, paradigmas do cinema paraibano. Diretores, autoridades, produtores e intelectuais prestigiaram o resultado das impressões extraídas da semana de arte e cinema sediada na capital paraibana. Nenhum dos filmes produzidos em Campina Grande entraram na lista de premiados, mas a semente do festival já foi plantada, resta agora que façamos frente a colher os frutos que dela advenham. Mais abaixo, toda a premiação do festival.

Entre os vencedores do Troféu Andorinha. Melhor Filme: O CÉU DE SUELY. Melhor Direção: KARIM AÏNOUZ (O Céu de Suely). Melhor Ator: EVARISTO ABREU (O Jardim do Outro Homem). Melhor Atriz: ANA MOREIRA (Transe). Melhor Ator coadjuvante: SELTON MELLO (Árido Movie). Melhor Atriz coadjuvante: DIRA PAES (Mulheres do Brasil). Melhor Roteiro: PEDRO COSTA (Juventude em Marcha). Melhor Produtor: LUÍS GALVÃO TELES, SERGE ZEITOUN, SOL DE CARVALHO (O Jardim do Outro Homem). Melhor Montagem: MAIR TAVARES (Veneno da Madrugada). Melhor Música: BERNA CEPPAS, KAMAL KASSIM, OTTO e PUPILO (Árido Movie). Melhor Fotografia: JOÃO RIBEIRO (Transe). Melhor Direção de arte: CÁSSIO AMARANTE (O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias). Melhor Figurino: KIKA LOPES (Zuzu Angel). Melhor Documentário: ESTAMIRA. Melhor Fotografia de documentário: MARCOS PRADO (Estamira). Melhor Montagem de documentário: PEDRO MARQUES (Lisboetas). Melhor Direção de documentário: SÉRGIO TRÉFAUT (Lisboetas). O vencedor do Prêmio SAELPA/CINEPORT no valor de dez mil reais, destinado a cineastas paraibanos, foi O FAZEDOR DE FILMES, de Arthur Lins e Ely Marques. Para o Troféu Andorinha Digital, os premiados foram: Melhor Ficção Curta: SETE MINUTOS, de Cavi Borges. Menção Especial Ficção Curta: AUGUSTO NA PRAIA, de Rafael Eiras. Melhor Documentário Curta: TRECHO, de Clarissa Campolina e Helvécio Marins Jr. Melhor Animação Curta: STUART, de Zepe. Menção Especial Animação Curta: O JUMENTO SANTO, de William Paiva e Leonardo Domingues. Melhor Documentário Longa: CARTOLA, de Lírio Ferreira e Hilton Lacerda. E, por último, o Troféu Andorinha Criança, cuja seleção foi feita por crianças e jovens para filmes independentes com temática infantil, foi para NO MEIO DA RUA, de Antônio Carlos da Fontoura.

Explore posts in the same categories: Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: